SEGUNDA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2017    
  PT-BR
   

Cérebro bilíngue: benefícios da infância à melhor idade

Publicado em 19/07/2017

Estudar uma língua estrangeira pode ser considerado difícil para muitas pessoas, porém todo o esforço e dedicação dependem do objetivo, da metodologia de aprendizado e, claro, da dedicação para os estudos. A importância do domínio de uma língua estrangeira, como o inglês, continua sendo fundamental em vários campos de nossa vida, especialmente no profissional. Mas muitos podem se perguntar: qual a idade certa para começar a aprender um segundo idioma? Ou: será que não estou “velho” para começar a estudar uma nova língua?

O fato é que não existe uma idade ideal para se iniciar o aprendizado de uma língua estrangeira, mas, sim, um determinado período da vida em que será mais oportuno ou fácil para se assimilá-la. Segundo especialistas, a infância é a melhor época para isso, pois é um momento em que a criança está desenvolvendo a fala e por isso conseguirá assimilar o conteúdo e aprender com muito mais facilidade e fluência do que um adulto.  “Com a queda das fronteiras da conversação entre os povos via Internet, o aprendizado de línguas se tornou de vital importância para se estar atualizado com a realidade mundial e buscar oportunidades de crescimento pessoal e profissional no exterior. Para isso, o quanto antes começar o estudo de outro idioma, melhores serão os resultados no futuro”, afirma Mateus Miranda, proprietário da Escola Livre de Idiomas.

 

Começo

Outras perguntas comuns: “Será que é cedo demais para meu filho começar a estudar um novo idioma?” “É mesmo necessário colocar meu filho de três, quatro anos em uma escola de inglês?” Essas são dúvidas frequentes que assolam pais de crianças e adolescentes. Expor uma criança, tão cedo, ao aprendizado de uma segunda língua pode acarretar muitos benefícios cognitivos no futuro. “A partir dos três anos as crianças têm enorme facilidade em aprender um segundo idioma. Segundo estudos, o período crítico de formação no cérebro para o aperfeiçoamento da linguagem ocorre entre dois e seis anos de idade. A esta altura, o cérebro está mais preparado para aprender um segundo idioma, pois tem uma capacidade impressionante de absorver novos conceitos”, explica a responsável pela comunicação e professora do Red Balloon, Flávia Velloso Bruschi.

Um dos pontos positivos de se começar logo cedo a aprender uma segunda língua é a “facilidade maior do aprendizado, na questão de assimilar e incorporar a língua com menos esforço do que uma pessoa mais velha, por exemplo”, explica o proprietário do Luziana Lanna - unidade Planalto, Felipe Antônio. Outro aspecto imprescindível para o aprendizado completo da língua é o prazer pelo estudo. “A principal vantagem é o gosto que a criança toma pelo conhecimento do idioma. Criar uma relação positiva com a língua é essencial, especialmente porque facilita a metodologia que é usada para essa faixa etária, que deve ser lúdica. Então trabalhamos, inicialmente, a compreensão auditiva e a fala, utilizando música e brincadeira. A criança aprende brincando”, completa Rafael Valladares, coordenador pedagógico da My Way.

Vale ressaltar que o inglês pode e deve ser inserido na rotina da criança mesmo antes de o estudo ser iniciado em escolas especializadas. Músicas infantis, filmes e conversas em outra língua podem influenciar a criança a querer aprender mais e a tornar, naturalmente, mais fácil o aprendizado.

 

Nunca é tarde

Quem não teve a oportunidade de estudar uma segunda língua na infância ou adolescência, não tem com o que se preocupar, porque ainda há tempo e muito que aprender. Mesmo um adulto pode falar quantos idiomas quiser. No entanto, para estas pessoas o processo é um pouco mais lento, porque, normalmente, têm de conciliar o trabalho, as preocupações do dia a dia e, com isso, possuem poucas horas para dedicarem-se aos estudos. É fundamental que as aulas sejam adequadas para cada tipo de aluno, visando ao máximo proveito destas.

Sociabilidade e atividades neuróbicas são benéficas em qualquer fase da vida. A maioria das pessoas mais velhas tem, basicamente, duas motivações para iniciar um curso na terceira idade: exercitar a mente, o que, inclusive, é uma excelente ideia; e não deixar o inglês ser uma barreira para viagens internacionais e de longo prazo. “A pessoa mais velha já passou por toda ansiedade, pela preocupação e correria da vida. Ela estuda outro idioma por puro prazer, tem tempo disponível e são pessoas muito dedicadas. Além disso, convivem muito na escola, realizando desde participações massivas nas aulas a eventos promovidos pelas escolas”, acrescenta Kênya Luz, coordenadora pedagógica do Luziana Lanna – Unidade Jaraguá.

Para o diretor da franquia Fisk – Unidade Palmares, Flávio Silva Gonçalvez, uma segunda língua pode ser estudada por qualquer pessoa, de qualquer idade: “É tudo uma questão de tempo, só é preciso ter paciência e persistência. Afinal, todos irão aprender do mesmo jeito, porém com formas e métodos diferentes. Não há idade certa para começar o aprendizado de outro idioma”, explica.

 

A mídia

É importante que os pais e estudantes tenham interesse pelo aprendizado da língua. Matricular-se em uma escola especializada é o primeiro passo para o desenvolvimento do conhecimento de idiomas, mas é imprescindível que os estudos sejam reforçados em casa com exercícios, filmes e músicas internacionais. “Não só as redes sociais, como a mídia e a indústria do entretenimento em geral, particularmente a americana, têm influenciado muito na aprendizagem de outro idioma. As redes sociais se tornaram um canal de comunicação e relacionamento com os alunos, admiradores e com o público, na sua maior parte”, afirma Paula Manzali Brugger, coordenadora pedagógica do TFLA Idiomas – Unidade Jaraguá.

O diretor da Achieve Languages Pampulha, Márcio Campos Júnior, concorda com Paula e acrescenta que “A Internet e as redes sociais influenciam diretamente no aprendizado de novos idiomas. É possível ter acesso a completíssimas plataformas on-line, e a uma gama de aplicativos que possibilita ao aluno conversar com pessoas do mundo todo e tornar as aulas muito mais dinâmicas dentro da sala de aula”, finaliza.

É importante ressaltar que ninguém adquire o domínio de uma nova língua tão rapidamente. É preciso paciência, determinação e muito estudo. Cada pessoa tem um tempo diferente para assimilar o idioma. O mais importante é criar uma boa rotina do estudo a fim de aprender de maneira agradável, poder levar essa prática para o dia a dia e não apenas mantê-la em sala de aula. Por meio de livros, revistas, filmes, documentários, séries de TV, programas de entrevista, noticiário, videogames, entre vários outros métodos, é possível reforçar o aprendizado.

REDES SOCIAIS

NOSSAS PUBLICAÇÕES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Receba os últimos artigos e notícias sobre turismo diretamente em seu e-mail:

Rua Conselheiro Galvão, 68 - Jaraguá | BH/MG   
(31) 2552-2525/3441-2725/99998-8686
desenvolvido por SITEFOX