QUARTA-FEIRA, 3 DE JUNHO DE 2020    
  PT-BR
   

Chuvas prejudicam comerciantes e moradores na região Nordeste

Publicado em 13/02/2020

“É só chover que Belo Horizonte para”. Esta frase popular tornou-se uma realidade na vida dos moradores da capital mineira. Nesta época do ano, a cidade sempre sofre com os problemas causados pela chuva. Uma das regiões mais afetadas é a Avenida Bernardo Vasconcelos, no bairro Ipiranga, na regional Nordeste, que em alguns dias de janeiro sofreu novamente com inundações.

Neste período, o córrego Cachoeirinha, cujo canal percorre a extensão da Bernardo Vasconcelos, recebe um grande volume de água, transborda e causa estragos para moradores e, principalmente, para aqueles que possuem algum comércio no local. “Quando começa a chover, tudo ocorre muito rapidamente, em questão de minutos o canal está cheio e transborda. Isso atrapalha muito o comércio, porque muitas vezes a água entra nas lojas e estraga os produtos”, afirma Douglas Amaral dos Santos, funcionário da distribuidora FF Trindade, que fica bem próxima ao córrego.

A avenida é uma das principais da região e permite o acesso à Cristiano Machado. Por isso, quando a inundação ocorre, os moradores também são prejudicados. “É só iniciar a chuva que não tem como sair de casa. Ficamos isolados e não tem como entrar e nem sair da região. Também é triste ver pessoas perdendo carros e outros bens materiais que são arrastados pela correnteza”, diz Igor dos Santos, morador do bairro Palmares.

O problema acontece há muitos anos e afeta não somente a região, mas também os bairros próximos. Os moradores e os comerciantes já pediram, várias vezes, uma solução da Prefeitura de Belo Horizonte. Segundo a Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (SMOBI), “está prevista a implantação de um canal paralelo ao córrego Cachoeirinha, em trecho próximo ao Minas Shopping, até o seu lançamento no Ribeirão do Onça. Também será feita a manutenção da galeria existente de, aproximadamente, 1.000 metros, melhorando as condições de escoamento do curso d’água”. O objetivo é que a obra amenize as inundações. Mas ainda será feita a licitação, prevista para este ano. Ou seja, infelizmente a solução virá em longo prazo.

Apenas promessas

Há muitos anos, a população local escuta promessas de melhorias e obras, porém sem conclusão. “A Defesa Civil costuma emitir alertas para os comerciantes da região e a Prefeitura já veio aqui fazer medições para uma obra, mas nada mudou, continua a mesma coisa”, acrescenta Douglas.

Menos promessas e mais ação! É disso que a população precisa. Quantas perdas e enchentes precisam acontecer até que algo realmente seja feito? Os cidadãos precisam de respostas e de prioridade. Infelizmente, a situação parece estar longe de acabar. O jornal Cidade Nova em Foco continuará acompanhando e buscando um posicionamento das autoridades.

REDES SOCIAIS

NOSSAS PUBLICAÇÕES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Receba os últimos artigos e notícias sobre turismo diretamente em seu e-mail:

Rua Orozimbo Nonato, 595 - Dona Clara | BH/MG   
(31) 2552-2525 / 3441-2725 / 99998-8686
desenvolvido por SITEFOX