SEGUNDA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2017    
  PT-BR
   

Cuidados com a higiene ajudam a evitar a infecção urinária

Publicado em 18/10/2016

Quando uma atividade simples do nosso dia a dia como ir ao banheiro passa a ser dolorida, é importante ficar atento. Ardor ao urinar, irritabilidade e alterações no odor e aspecto da urina podem ser um sinal de infecção urinária. Ela pode ocorrer em qualquer parte do sistema urinário como rins, uretra e bexiga, sendo mais comum nas duas últimas. Mesmo sendo mais frequente entre as mulheres, a infecção urinária não escolhe idade, gênero nem raça.


O professor da Faculdade de Medicina da UFMG, Marcelo de Sousa Tavares, conta que os fatores de risco dependem da faixa etária. “Nos dois primeiros anos, os principais problemas são relacionados a malformações do trato urinário. Em escolares, as disfunções do trato urinário inferior e litíase urinária. Em adolescentes, além dos cálculos urinários, o início de atividade sexual pode se relacionar com a infecção urinária.” Já na fase adulta, cada idade e sexo tem sua particularidade. “Em alguns casos, a vida sexual ativa das mulheres pode ser um fator de risco (mesmo não sendo uma doença sexualmente transmissível). Já nos homens, o aumento da próstata após os 50 anos aumenta a chance de desenvolver a infecção”, explica.


A principal forma de prevenção é a alta ingestão de água e não “segurar” a urina, já que ela é importante para carregar impurezas e higienizar o canal urinário. Como as causas podem ser diversas, elas só podem ser confirmadas pelo médico, por meio de exames de imagem, caso a suspeita seja de cálculo a malformação, por exemplo. “Em homens com aumento da próstata o tratamento promove o esvaziamento da bexiga e a redução das infecções. Nos casos associados ao ato sexual, mulheres com infecção urinária devem procurar mudar hábitos como mudança do preservativo (alguns podem levar a reações alérgicas na mulher) e até mesmo a posição durante o ato sexual”, recomenda Marcelo. 

Ao sinal de qualquer sintoma, deve-se procurar o médico para o diagnóstico e início do tratamento. “As infecções urinárias podem se alastrar pelo corpo e resultar em infecção generalizada, que exige internação”, alerta o professor. Ele ainda afirma que a doença pode levar à lesão recorrente nos rins, levando à diminuição da função deles, agravando-se com o tempo. Por isso, fique atento e previna-se, pois a prevenção ainda é o melhor remédio.

 

SINTOMAS MAIS COMUNS

  • Ardência forte ao urinar;
  • Forte necessidade de urinar, mesmo tendo acabado de voltar do banheiro;
  • Urina escura;
  • Urina acompanhada de sangue;
  • Urina com cheiro muito forte;
  • Dor pélvica;
  • Dor no reto;
  • Aumento da frequência de micções.

 

PREVENÇÃO

  • Beba muito líquido, especialmente água;
  • Limpe-se após urinar para evitar que bactérias se acumulem no local e entrem no trato urinário;
  • Urine após as relações sexuais para esvaziar a bexiga;
  • Prefira os absorventes externos em vez de internos e troque de absorvente cada vez que for ao banheiro;
  • Não use spray ou pó para a higiene feminina. Como regra geral, não utilize nenhum produto que contenha perfumes na área genital;
  • Evite usar calças muito apertadas;
  • Use calcinha e meia-calça de algodão e troque-as, pelo menos, uma vez por dia.

REDES SOCIAIS

NOSSAS PUBLICAÇÕES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Receba os últimos artigos e notícias sobre turismo diretamente em seu e-mail:

Rua Conselheiro Galvão, 68 - Jaraguá | BH/MG   
(31) 2552-2525/3441-2725/99998-8686
desenvolvido por SITEFOX