SEGUNDA-FEIRA, 11 DE DEZEMBRO DE 2017    
  PT-BR
   

Rotina das mulheres exige mais cuidados e atenção com a saúde e a qualidade de vida

Publicado em 28/11/2017

O termo sexo frágil está cada vez mais distante do perfil feminino e elas estão cada vez mais independentes e decididas. Mesmo assim, elas possuem particularidades que, em determinados momentos, faz com que sejam mais sensíveis, mas não frágeis ou fracas. Hoje a mulher é, mais do que nunca, responsável por várias atividades ao mesmo tempo. Seja no trabalho, em casa, com os filhos, com os estudos e também com sua saúde e aparência, a mulher atual tem procurado cada vez mais o auxílio de profissionais que compreendam esse novo cenário em que o público feminino está inserido.

Por conta dessa “nova mulher”, os ônus também aparecem. Os maus hábitos da correria do dia a dia, somados às alterações hormonais, exigem atenção e uma necessidade de mudança. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), alguns problemas ainda são latentes como sedentarismo, obesidade, diabetes, estresse, doenças cardiovasculares, além de câncer de mama, osteoporose, dentre entre outras doenças. A OMS destaca, especialmente para as mulheres, a necessidade de melhorar a alimentação, praticar exercícios físicos pelo menos três vezes por semana, fazer exames rotineiros para combate ao câncer, dentre outras medidas.

Agnaldo Lopes Filho, ginecologista e professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), detalha mais esses cuidados. “É importante focar na promoção da saúde e na alimentação saudável. Prática de atividades físicas, evitar o uso de bebidas alcoólicas e tabagismo. A vacinação também é muito importante, desde menina, como o HPV, que é a partir dos nove anos, até a fase adulta, com outras vacinas. É muito importante a vacinação antes e durante a gravidez. Antes de engravidar, a mulher deve tomar a Vacina Tríplice Viral (sarampo – caxumba – rubéola). A gestação deve ser evitada no primeiro mês após a aplicação da vacina, uma vez que é composta por vírus atenuados e, portanto, há o risco teórico de infecção congênita na criança. Já durante a gravidez, as gestantes devem tomar: H1N1 e a vacina tríplice contra tétano, difteria e coqueluche. Fazer exames preventivos para detectar o câncer precoce também é essencial. Ir ao ginecologista regularmente e realizar com rotina também o Papanicolau”, enumera o médico. Ele ressalta ainda que, a partir dos 40 anos, toda mulher deve fazer a mamografia e a partir dos 50 anos a colonoscopia (um exame que analisa o revestimento interno do intestino grosso e parte do delgado, correspondente ao reto e ao cólon). A colonoscopia ajuda a encontrar pólipos, tumores, inflamações, úlceras e outras alterações do órgão.

Saúde mental e corporal

Além dos cuidados com exames médicos periódicos, a mulher deve entender que a saúde mental também faz parte dos princípios para manter o seu bem-estar, principalmente pela particularidade hormonal feminina. “A Tensão Pré-Menstrual (TPM) é uma alteração hormonal muito grande. Hoje os ginecologistas trabalham com remédios eficazes, mas existe um fator na sociedade que aumenta bastante a TPM: o estresse. Se você tiver um mês estressante, pode saber que terá uma TPM para ‘arrebentar’. A mulher ficará supersensível, extremamente irritada. Com isso, briga em casa, briga no trabalho e por aí vai”, salienta a psicóloga Claudia Lana. Ela afirma que existe solução com um tratamento psicoterapêutico e medicamentos que aliviam consideravelmente esses distúrbios. “Uma das técnicas que indicamos é a prática de meditação, pois ela ajuda a mulher a refletir e a entender melhor o mundo ao seu redor e os seus sentimentos, legitimando, assim, seu lugar no mercado de trabalho, já que ela controla um problema que pode alterar sua vida pessoal e profissional”, ressalta.

Com relação a problemas ortopédicos também existem particularidades no cenário feminino. “Na fisioterapia os acometimentos patológicos em mulheres são as lombalgias, cervicalgias, cervicobraquialgias, tendinites, dores nas articulações em geral. Atualmente a informação está acessível para todas, seja on-line, em revistas, jornais ou TV. Sendo assim, as pessoas buscam os tratamentos mais rápidos, seja na fisioterapia ortopédica/convencional ou nas outras atividades em que o fisioterapeuta atua como, por exemplo, na reabilitação por meio do método pilates, com grande presença feminina. Antigamente, as pessoas procuravam o atendimento apenas após a lesão”, diz a fisioterapeuta especialista em dermatofuncional e professora de pilates, Fábia Ferreira.

Tratamentos complementares

Hoje existe uma gama de tratamentos e de atividades físicas que complementam e auxiliam a medicina tradicional. A acupuntura, técnica oriental milenar, por exemplo, ainda é muito utilizada. Mais uma vez a questão hormonal ganha destaque: “As mulheres nos procuram muito na fase reprodutiva; quando estão de TPM por causa da ansiedade e irritabilidade cólica menstrual; por causa da enxaqueca; por atraso, falta ou excesso de menstruação; por baixo ou alta libido; por busca de fertilidade; por intestino irritado, dentre vários outros motivos. A acupuntura trabalha as funções energéticas do corpo, especificamente dos órgãos, trabalhando impactos da circulação dos fluidos corporais. As patologias vêm desse desequilíbrio, seja excesso ou falta de energia em meridianos corporais. Então, introduzimos agulhas finas nesses pontos para regular a energia desses locais, seja em excesso ou escassez. Nossa maior demanda é de pessoas com ansiedade, compulsão alimentar, falta de concentração, irritabilidade e insônia”, explica a técnica em acupuntura, Andrezza Helena Muschioni.

Yoga

Outra técnica oriental muito utilizada também é a yoga. A professora de yoga, Jacqueline Barros, mostra que a prática influencia no controle de questões hormonais e de fertilidade: “A mulher possui ciclos hormonais que se alteram durante o mês e isso interfere diretamente no seu humor, no seu corpo e nos bloqueios emocionais. Com a prática regular da yoga, ela passa a ter mais controle emocional, mais tranquilidade e até mais prazer sexual, superando as cobranças.”

A advogada e fotógrafa, Clarissa Curvêlo Neves, explica que utiliza oito remédios naturais que funcionam como preventivos às doenças. São eles: alimentação saudável, ingestão regular de água, buscar locais com ar puro, exposição à luz solar nos horários adequados, praticar exercícios físicos regularmente, repouso, temperança (equilíbrio em todas as áreas da vida) e confiança em Deus (praticar a fé). “Eu sigo esses oito hábitos que ajudam a melhorar a minha qualidade de vida. Eles são fundamentais para ter mais longevidade e trazem não só a saúde física, mas também mental e espiritual. Colocá- los em prática foi muito difícil. Já destruí muito a minha saúde, mas hoje estou conseguindo reajustar e colocar tudo em prática, com mais equilíbrio”, destaca.

Elas vão à luta!

Michelle Benedetti Teixeira tem 42 anos, é casada, tem dois filhos, é advogada e empresária. É um exemplo do perfil exato da “nova mulher”. Ela confirma a luta diária para conciliar trabalho e saúde. “Vou à academia três vezes por semana. O mais difícil para manter a saúde é seguir com perseverança um programa de alimentação saudável e manter a rotina dos exercícios. Para o bem-estar, alguns dias são mais difíceis em razão do estresse, normal nos dias de hoje. Para complementar tomo vitamina C, D e zinco”, relata.

Em meio a toda essa agitação do dia a dia, muitas mulheres até acordam mais cedo para manter a forma. “O mais difícil é acordar às 5h30 da manhã para ir à academia. Vou no mínimo três vezes por semana”, conta a corretora de imóveis, Fabrícia Rossi. A empresária Cristina Viana confirma esse hábito. “Em uma academia hoje, cada vez mais os serviços são segmentados para as mulheres, tanto na parte estética como na parte funcional. Assim, percebo que cada vez mais as mulheres estão na academia. Elas ‘saíram do fogão’ e estão querendo beleza e qualidade de vida. Para fazer a atividade física, elas se desdobram, já que têm de ser mãe, profissional, dona de casa e tantas outras funções. Assim sobra pouco tempo. Na hora de almoço é a mesma coisa”, afirma.

O nutricionista Hamilton Baêta considera que, em relação à perda de peso, a consciência feminina está à frente da masculina: “As mulheres pensam mais na saúde do que os homens. Na minha especialidade, a nutrição esportiva, ainda predomina a desejo da perda de gordura entre as mulheres e nota-se que especifiquei a perda de gordura, não somente a perda de peso e essa é a principal diferença nos tempos de hoje. As mulheres já entendem bem a diferença entre a perda de peso e a perda de gordura, pois muitas delas juntamente com a perda das gordurinhas, também desejam o ganho de massa muscular para melhorar o tônus e o enrijecimento, o que pode acarretar o ganho de peso, bem-vindo, por meio de músculos.”

Diante disso, é possível concluir que a mulher tem um papel fundamental na sociedade. Ela é mãe, é esposa, cuida do seu lar, mas também é trabalhadora, é estudante, é feminina. São muitas atividades exercidas ao mesmo tempo, mas que devem ser realizadas com o maior equilíbrio possível para que a qualidade de vida seja mantida. É possível, sim, fazer tudo isso. Mas também é essencial respeitar a saúde e buscar os cuidados necessários para ter uma vida saudável em meio a tantos afazeres.

REDES SOCIAIS

NOSSAS PUBLICAÇÕES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Receba os últimos artigos e notícias sobre turismo diretamente em seu e-mail:

Rua Conselheiro Galvão, 68 - Jaraguá | BH/MG   
(31) 2552-2525/3441-2725/99998-8686
desenvolvido por SITEFOX